TRANSLATOR( BLOG OR POST)

29 de mai de 2017

Do fundo do baú

Uma das lembranças de minha infância é uma varanda em frente de minha casa, que foi se desmontando, desmanchando. Não sei quando caiu a primeira tábua, mas depois de várias perdas, ela sumiu. Alguém decidiu que ela era inútil.
Essa lembrança fotográfica da varandinha sobra de saudades. Talvez porque ela guarde o encanto de brincar de boneca e casinha com minha irmã mais velha.Como sobrou essa lembrança da imagem de uma boneca caída do lado de fora e nós debruçadas entre as tábuas, tentando alcançar?
 No canto dessa varanda se enlaçava num barrote uma trepadeira com flores delicadas, azuis, parecidas com cachos de uvas. Há bem poucos anos eu descobri o nome dessa lindeza: glicínia.
E descobri também, para minha tristeza, o motivo dela ter minguado e desaparecido: sede.
Investigando para ver se ela vingaria aqui -sim, essa é a idade de refazer memórias-, soube que ela adora água. Nunca vi ninguém regando a pobre coitada.
Vou gastar os olhos com a mudinha que plantei. Quem sabe consiga alguma imagem assim?
(Faça um agrado aos seus olhos e digite Glicínia no Google/Imagens. Tem branca, azul, rosa, lilás.)

6 comentários:

Anônimo disse...

Lindas suas glicinias querida! Lindas tambem suas lembranças. Me emocionaram ! Andava preocupada com seu silêncio. Se tivesse o numero do seu tel teria ligado.Tudo passa; são momentos que vão compondo nossa vida como peças de um mosaico. No final estará concluido Beijos saudosos LÊ

Clarice disse...

Lê, quem dera essas fossem minhas! Minha mudinha pelada com 30 cm vai gastar meus olhos até crescer e florir.
Estou bem, alguns percalços médicos,andei ocupada, vou mais ao Facebook que aqui(mas nem telefone eu atendo,rs). Tem uma época que é preciso olhar para si mesmo, não é? Abraço e fique bem.

Dalva M. Ferreira disse...

Algumas lembrancas nao nos saem do pensamento. Eu mudei muito de casa, de bairro, de cidade e ate de estado. Isso e' mau, porque a vida se transforma numa serie de despedidas... Glicinias! La' em MG, na casa do meu avo, tinha um pe' de dama da noite. Saudade!

Clarice disse...

Dalva, também perambulei pelo mundo, mas até hoje, embora ela tenha sido substituída por um supermercado-destino cruel!- chamo aquela de minha casa, mesmo afastada dela há mais de 40 anos.
Aqui chamam de dama da noite uma florzinha de arbusto, bem comum,colorida muito perfumada à noite. Nós tínhamos uma dama da noite branca, de vaso, delicadíssima, abria muito raramente.
Abraço.

Justine disse...

Tenho há mais de 15 anos uma glicínia no jardim, que todas as primaveras me oferece um esplendor de cachos lilases - como os da fotografia que mostras - e de um perfume que me acompanha até casa!
Uma festa para os olhos e para o odor, uma oferta magnífica da natureza!
Espero que a tua plantinha se transforme numa enorme glicínia!

Clarice disse...

Justine, aqui chove há duas semanas então não será por falta de água,rs. Mas vai demorar a crescer. É uma muda de 30cm de altura. Imagine minha ansiedade. Grande abraço, amiga!