TRANSLATOR( BLOG OR POST)

24 de out de 2014

Atopia canina é cruel

Não é que eles tenham consciência de sua aparência, mas em algum lugar do cérebro deles, tem o registro de mudanças, principalmente as que acontecem de repente.

Há vários artigos sobre atopia canina. Deixo sua curiosidade ativa para pesquisar.

Aqui em casa lido com essa doença há quase sete anos. Ela em nada diminuiu a energia ou a alegria e disposição de Sunshine. Somente quando as tentativas de alimentação deram errado e ele quase se esvaia em problemas intestinais, tinha febres altas e tomava muitas picadas de injeção para diminuir seus sintomas. Aí ficava prostrado de dar dó.  Aos poucos, com testes de laboratório e por eliminação de alimentos, fomos acertando a dieta e ele come muito bem.

Mas a doença é cruel com a aparência deles, pois eles sentem muita coceira, a pele fica extremamente seca, acabam se ferindo de tanto se coçar e mordiscar. Muito hidratante, muito ômega 3  e 6, muitos cuidados, shampoos de todo tipo, complementos alimentares, tudo em vão. Aquela pelagem exuberante vai diminuindo, até pela medicação tópica que é bem agressiva e queima a raiz dos longos pelos.

Que eram assim.

Para dar um pouco de conforto, tosamos um pouco os pelos para que não criassem nós, acertamos o comprimento dos bigodes, desmanchamos e cortamos uma infinidade de bolas de pelos. Ah, clareamos os bigodes com colírio de eufrásia. 
Quem resiste a esses olhinhos negros?

Este ano, em poucos meses, a pelagem desistiu de lutar e ele ficou assim.

Esta semana nos rendemos e deixamos os pelinhos bem rasos, já que o calor está mais amigo. Os hidratantes e cremes chegam mais facilmente à pele.

A reação dele foi radical. Continua comendo, sai para caminhar contra a vontade, com a pele pelada protegida, bem cedinho. Mas desde ontem parou de brincar, só fica deitado, de roupinha de inverno. Ficou friorento de tremer.

Não é de dar dó?

Eles, dizem, também ficam deprimidos. Isso passa em alguns dias. Já aconteceu antes.

Mas para quem está ao lado, é de rachar o coração, não é, não?

5 comentários:

São disse...

É , sim.. é de cortar o coração.

Beijinhos para si e festinhas para ele :)

Justine disse...

Fiquei emocionada, Clarice! Como nós amamos os animais nossos companheiros, e como sofremos quando eles adoecem...
O teu Sunshine está a ter e vai continuar a ter todo o conforto que amor de dona pode dar...mas é de partir o coração!
Um abracinho solidário

Clarice disse...

São, obrigada. Vamos seguindo com otimismo, apesar de tudo, pois ele responde bem a estímulos e em breve voltará a comandar a rua com seus latidos.
Obrigada pelo carinho.
Beijo.

Justine, apesar de ser uma discípula de Poliana, tem horas que a emoção prevalece. Todavia, procuro tratá-lo sem compaixão exagerada, porque me parece que isso não ajuda em nada, mas com o carinho que ele merece.
Obrigada pela solidariedade. Hoje até já vi a agitação reaparecer um pouco. Como tudo o que acontece com ele, vamos lidado com o que aparece, sem sofrer por antecipação, pois ele é um bravo.
Beijos.

Anônimo disse...

Veja site bicho integral: caso doki. A vet. Carmen Cocca trata com sucesso casos de atopia canina. E ela é de Floripa.

Clarice disse...

Anônimo, agradeço muitíssimo sua dica, mas tudo o que é proposto no site ele já fez.
Tem sete anos e há mais de seis e meio só come o que eu preparo, baseado em testes de sensibilidade. Não saio uma vírgula da dieta rigorosa e não faço nenhuma experiência pra ver se vai dar certo.
Já melhorou muito, muito mesmo, mas a queda de pelos foi inevitável.
Reduzir aplicação de vacinas me parece muito temerário e arriscado tendo outros bichos em casa.
Abraço.