TRANSLATOR( BLOG OR POST)

30 de set de 2013

O que não se vê

Curioso como as tradições seguem  e descobrimos com espanto suas origens e em alguns casos, suas consequências.

Veja estas:

Velas eram colocadas nos bolos de aniversário para espantar os demônios. Foguetes tinham a mesma motivação.Você ficaria espantado se soubesse que aplausos também tinham esse propósito? 

Demônios pelo jeito não gostam de barulho. Delicadinhos eles, não?

O aperto de mão informava o interlocutor que você não estava armado. A continência militar também. Isso no tempo que não existiam canhotos, será?

Agora o susto: 

Você sabia que soprar velas serve para espalhar bactérias(muitas, acredite). Se o sopro vem da boca de um aniversariante, imagine a cobertura do bolo depois de soprar aquelas velinhas teimosas.  

Ai! Por que é que fui lembrar daqueles docinhos todos que foram enrolados nas mãos, sabe-se lá que mãos? 

Você sai do banheiro comunitário achando que suas mãos lavadinhas estão limpas? A torneira foi aberta antes de lavar as mãos, certo? Aí você fecha depois de lavar. E todo mundo que passou por aí antes de você. Sinto  muito.

Um aperto de mão transfere mais sujeira e possibilidade de contaminação do que um beijinho nas faces. 

Desde que quem te ofereça a face não tenha uma touceira de cabelos no meio do caminho do teu rosto, claro. Nem sei dizer o quanto detesto cumprimentar alguém e ter meu rosto enterrado em cabeleiras. 

O que dizer de médicos que nos recebem de mão estendida? 

Estou pensando seriamente em passar a fazer continência.
______________________________________________________

N.B.:Sabe aquele pedaço de areia onde a água do mar lambe a praia e todo mundo caminha descalço, achando que é bom pra saúde? Pois sim! É o local mais sujo da praia. Caminhe em areia seca.

2 comentários:

São disse...

Bater as mãos para afastar os demónios sabia por causa do equívoco que esse hábito gerou aquando da primeira vez que os ocidentais entraram no Tibete.

Quanto às velinhas e aos foguetes, desconhecia de todo.

Á beirinha de água não gosto de andar (aliás , eu entro sempre de sandálias de plástico no mar)por causa do peixe-aranha.

Bella, beijinhos

Clarice disse...

São, lá fui eu me informar sobre o peixe-aranha. Desconhecido por aqui, felizmente.
Nossas praias, dependendo das correntes e temperatura da água trazem águas-vivas.
Sorte que alguém tinha vinagre quando uma delas me encontrou.
Bjs.