TRANSLATOR( BLOG OR POST)

1 de set de 2011

Como cuidar de quem teve AVC(Derrame Cerebral)

RECOMENDAÇÕES PARA RECUPERAÇÃO
POR JILL BOLTE TAYLOR, PH.D*.

DEZ QUESTÕES DE AVALIAÇÃO
1. Você examinou meus olhos e ouvidos para saber o que posso ver e ouvir?
2. Posso discriminar cor?
3. Percebo três dimensões?
4. Tenho noção de tempo?
5. Posso identificar todas as partes do meu corpo como minhas?
6. Posso discriminar voz de ruído de fundo?
7. Posso ter acesso à comida? Minhas mãos conseguem abrir embalagens? Tenho força e habilidade adequadas para me alimentar?
8. Estou confortável? Estou suficientemente aquecido? Com sede? Com dor?
9. Sou excessivamente sensível à estimulação sensorial (luz ou som)? Se sim, tragam-me protetores auriculares para que eu possa dormir, e óculos de sol para que eu consiga manter os olhos abertos.
10. Sou capaz de pensar com linearidade? Sei o que são meias e sapatos? Sei que devo colocar as meias antes dos sapatos?


QUARENTA COISAS DE QUE EU MAIS PRECISAVA

1. Não sou estúpida, estou ferida. Por favor, respeitem-me.
2. Chegue perto, fale devagar e pronuncie as palavras com clareza.
3. Seja repetitivo. Presuma que eu não sei nada e comece do início, muitas e muitas vezes.
4. Seja tão paciente comigo na vigésima vez em que me ensinar alguma coisa quanto foi na primeira.
5. Aproxime-se de mim com o coração aberto e controle a ansiedade. Não tenha pressa.
6. Tenha consciência do que sua linguagem corporal e expressões faciais estão comunicando para mim.
7. Faça contato visual comigo. Estou aqui; venha a meu encontro. Incentive-me.
8. Por favor, não levante a voz. Não sou surda, apenas estou ferida.
9. Toque-me apropriadamente e faça conexão comigo.
10. Respeite o poder de cura do sono.
11. Proteja minha energia. Nada de locução de rádio, televisão ou visitantes nervosos! Peça às visitas que sejam breves (cinco minutos).
12. Estimule meu cérebro quando eu tiver energia para aprender algo novo, mas saiba que uma pequena quantidade pode me esgotar rapidamente.
13. Use ferramentas educacionais apropriadas (pré-escolares) e livros para me ensinar.
14. Apresente-me ao mundo sinestesicamente. Deixe-me sentir tudo. (Sou uma criança novamente.)
15. Use comportamentos de imitação para me ensinar.
16. Acredite, estou tentando. Apenas não no seu nível de habilidade e no seu tempo.
17. Formule questões de múltipla escolha. Evite perguntas cujas respostas sejam sim/não.
18. Formule questões que tenham respostas específicas. Dê-me tempo para procurar a resposta.
19. Não avalie minha habilidade cognitiva pela velocidade com que posso pensar.
20. Lide comigo com delicadeza, como faria com um recém-nascido.
21. Fale comigo diretamente; não fale sobre mim com os outros, como se eu não estivesse ali.
22. Incentive-me. Espere que eu me recupere completamente, mesmo que leve vinte anos!
23. Acredite que meu cérebro possa continuar aprendendo sempre.
24. Fragmente todas as ações em pequenos passos de ação.
25. Verifique que obstáculos me impedem de alcançar sucesso em uma tarefa.
26. Esclareça para mim qual é o próximo nível ou passo para que eu possa saber a qual objetivo estou me dirigindo.
27. Lembre-se de que tenho de ser proficiente em um nível de função antes de poder me mover para o nível seguinte.
28. Comemore todos os meus pequenos sucessos. Eles me inspiram.
29. Por favor, não termine minhas frases nem forneça as palavras que não consigo encontrar. Preciso exercitar meu cérebro.
30. Se não consigo encontrar um arquivo antigo, crie um novo para mim.
31. Posso querer que você pense que entendo mais do que realmente entendo.
32. Foque o que eu posso fazer, em vez de lamentar aquilo de que não sou capaz.
33. Apresente-me à minha velha vida. Não presuma que, porque não posso mais tocar como antes, não vou apreciar um instrumento, ou música em geral.
34. Lembre-se de que, na ausência de algumas funções, conquistei outras habilidades.
35. Mantenha-me à vontade com a família, os amigos, e me dê apoio emocional. Construa um mural de cartões e fotos que eu possa ver. Identifique-os para que eu possa revê-los.
36. Convoque as tropas! Crie uma equipe de cura para mim. Mande notícias a todos de forma que eles possam me mandar amor. Mantenha-os informados sobre minha condição e peça-lhes que façam determinadas coisas para me ajudar, como me visualizar conseguindo engolir com facilidade ou balançando meu corpo até me sentar sozinha.
37. Ame-me pelo que sou hoje. Não me faça ser a pessoa que fui antes. Agora tenho um cérebro diferente.
38. Seja protetor, mas não se ponha no caminho do meu progresso.
39. Mostre-me velhos vídeos nos quais eu apareça fazendo coisas que me lembrem como eu falava, caminhava e gesticulava.
40. Lembre-se de que minha medicação provavelmente me faz sentir cansada, e também mascara minha capacidade de saber como é me sentir eu mesma.
A autora, médica neurologista, pesquisadora, sofreu um AVC e escreveu o livro: A Cientista que Curou o Próprio Cérebro
Ela não só disponibiliza essa lista, como solicita que todos a divulguem.

Na internet existem sites onde esse ebook pode ser baixado gratuitamente.


14 comentários:

São disse...

Excelente post, ma belle. Útil mesmo.

Gosto muito destes olhos de agora, viu'

Bisous.

Justine disse...

Um manancial de ensinamentos, o teu blog!
Obrigada e bom fim de semana:))))

Clarice disse...

São, espalhe, se puder.
Se quando meu pai teve AVC eu soubese disso a metade, teria ajudado mais do que pensei ter ajudado.
Os olhos são muito lindos e o fotógrafo foi inspirado.
Beijos.

Justine,tomara que alguma das linhas ajude alguém. Muito do que se faz parece certo, mas do ponto de vista do doente, veja só!
Beijão.

Dalva Maria Ferreira disse...

Ninguém merece um AVC, mas ele acontece. E o conhecimento sempre ajuda, sem dúvida!

Clarice disse...

Dalva, o diferencial dessas dicas é a fonte. Impressionahte o livro dessa cientista.
Boa semana.

AVOGI disse...

nao conhecia mas é sempre essencial , mas digo-te, na hora do aperto ninguém se lembra das dicas, infelizmente
kis :(

Gloria disse...

Muito bom! vou querer o ebook, já que tenho provavelmente mais dois para cuidar, quando chegar a hora.A primeira foi minha vozinha, como me senti perdida. Quantas vezes saia de perto dela para chorar, por não saber se estava fazendo o certo.Bjs

Clarice disse...

Glória, segue via e-mail. Muitas surpresas e esclarecimentos.
Beijos.

Aila Cabral disse...

Olá, Clarice!

Gostei muito de encontrar essas dicas por aqui, estou buscando saber mais sobre o assunto desde que um tio teve um AVC. Se puder, envia o e-book para meu e-mail?

ailacabral@hotmail.com

Obrigada! Bjss

GERAÇÃO JOVEM disse...

A minha mãe sofreu um avc e gostei muito dessas dicas , se assemelham e muito ao estado dela , obrigada amada que Deus nos de sabedoria e graça para superarmos tudo isso!

Clarice disse...

Geração Jovem, desejo melhoras a sua mãe.

É muito importante não esquecer que ela agora é uma pessoa diferente e aceitar as mudanças dela, de sua rotina e necessidades.

Espalhe as dicas.
Abraço.

Betina disse...

Ótimo post, obrigada! Você pode me enviar o ebook por email? betinaps@gmail.com Tenho um caso de AVC recente na familia. Bjos.

andreia Mattos disse...

Muito bom poder ler essas dicas. Ótima postagem. Minha mãe sofreu um AVC e estou buscando conhecer para melhor agir e cuidar dela.Gostaria de receber o ebook. Parabéns por compartilhar conosco.

Clarice disse...

Betina e Andréia, infelizmente meu antigo computador esgotou a paciência comigo e eu perdi o arquivo, mas vou tentar achar na internet e publicarei na minha página do facebook, se encontrar, OK?
Essa lista de perguntas faz parte do livro dela bem como os conselhos.
Melhoras para sua mãe, Andréia e sempre muita paciência. Abraço.