TRANSLATOR( BLOG OR POST)

24 de dez de 2010

Mas que perguntas a uma hora dessas!

E se não existisse a lenda de Papai Noel, nem esse desespero por mesa cheia de comida, nem mesmo essa corrida às lojas em busca de "lembrancinhas" e presentes, que são dados em troca de bom comportamento?
Imagine se algum bispo espertalhão começasse a cobrar direitos sobre as vendas, hein?

Por que no final do ano todo mundo fica tão bonzinho?

Tá bom, já to indo embora...

4 comentários:

Espaço do João disse...

Olá Clarisse.
Cuidado porque vai partir os ovos todos ( disse ovos)? Perdão queria dizer a loiça toda.
Passei para lhe desejar um Feliz Natal, com todos aqueles que mais ama.

ManDrag disse...

Bem... se não houvesse o Natal com todo o seu moderno desespero consumidor o sistema capitalista iria inventar outro pretexto qualquer para... enfim

Bom Natal para ti, em Paz e Tranquilidade. Daqueles natais à moda antiga, apenas para festejar o solstício.

Abraço grande

Anônimo disse...

Oi Clara
Se me permitir, tentarei responder esta pergunta:
Faz já bastante tempo; uns 20 ou 25 anos talvez, não sei bem. Era época de Natal e fui assistir a uma palestra dobre o Advento num colégio católico no RIO. O palestrante, um padre jesuíta, jovem e de inteligência brilhante, falava sobre o tema quando uma senhora idosa levantou o braço pedindo para falar. Gentilmente, o padre se dirigiu à ela cedendo espaço. Ela falou : ¨Durante toda minha vida padre, tenho tentado achar resposta para uma dúvida que me corrói; Por que nesta época, todo mundo muda,demonstra afeto, deseja coisas boas para todos, há solidariedade e o mundo fica tão belo.A gente nota que são sinceros. Porem tão logo passe o Natal tudo volta a ser como era antes. Por que ? ¨
A resposta veio imediata e nunca mais esqueci dela. Assim respondeu : ¨Minha senhora, é necessário não confundir afetividade com opção. Afetividade é um estado emocional motivado por fatores externos; no caso do Natal, as luzes,a ornamentação, a tradição, os embrulhos de presentes, as músicas natalinas, tudo gera um clima pripício a emoção e a afetividade. Mas não houve a opçao; as pessoas não optaram para dar continuidade aos sentimentos nem desejam de verdade que assim continue o resto do tempo. Então, tão logo desapareçam os fatores externos que motivaram a afetividade, esta tambem desaparece. ¨
Creio ser esta a solução; UMA OPÇÃO e quem sabe será sempre Natal. Beijinhos Lê.

Clarice disse...

João, foi-se mais um. Tomara que tenha necido um novo sentimento, um novo propósito em muitas pesoas no mundo todo. Obrigada. Abração.

Mandrag, e pensar que tudo se baseia numa história que não tem comprovação. Em resumo, os homens precisam acreditar ou fingem acreditar. Enfim...o que resta de bonito são os olhinhos das crianças(as privilegiadas) e enfeites, presentes, encontros por obrigação.
Enquanto isso,o sentido real se perde, e nada de novo acontece dentro das pessoas de barriguinha cheia.
Abraço.

Lê, muito interessante esse enfoque. Vindo de um religioso fica bem óbvio, eis que foram treinados para ver entrelinhas.
Todavia, minha pergunta tem um sentido que acompanha essa ideia: as pessoas esqueceram o que significa natal. Nascer. Nada a ver com a histórinha romântica de criança que nasce em manejedoura(mentira já comprovada), filho de virgem e todo o resto que acompanha.
O que mais se ouve são índices de crescimento nas vendas. E os pequenos que deveriam receber atenção o ano todo ficam felizes com um mimo e voltam para sua vida degradante.
Pelo menos um pensamento de renovação deveria circular pela mídia, conclamando a que deixem renascer bons sentimentos e alegrias puras.
Abraço.