TRANSLATOR( BLOG OR POST)

27 de mar de 2010

Eu não conto?

O primeiro foi quando, 1970? Sei lá. O que sei é que nunca alguém bateu à minha porta ou deu esbarrão em mim na rua e me fez reponder sobre mim para esse tal censo.

Agora vai começar mais um. Quero só ver se me encontram aqui no canto bicudo do mundo.

A propósito, recebi um pedido de socorro de Porto Alegre(Godóia). Pois não é que lá faltam pessoas para fazer as tais perguntas e marcar xis nos quadradinhos? Salariozinho interessante(até R$1.600,00).

Para que mora lá, tem parentes ou está a fim de curtir o outono com o sol se pondo sobre o Guaíba, entre neste site e faça a inscrição correndo, até 03/04/2010.

Por via das dúvidas, quando anunciarem quantos felizes ou sofredores há neste entorno de florestas verdejantes e políticos corruptos, acrescente mais um habitante. Sou eu.

Glória, foi o que eu pude fazer, além de mandar mensagem para o amigo Mauro. Com tantos passageiros e leitores, quem sabe.

3 comentários:

Gloria disse...

Feito!Pois é vizinha, eu trabalhei no censo de 1980, então com 20 aninhos e depois só me lembro de ter sido recenseada uma vez.Se não mudou o modelo, eles trabalham por amostragem, ou seja, há 2 tipos de formularios, um básico com nº de pessoas,sexo,idade e qtos tinham renda e outro completo,sendo 1 completo para 4 básicos e assim por diante.Quem sabe algum vizinho orelhudo não forneceu as informações? A orientação era voltar na casa caso não encontrasse ninquem e como se ganha por produção, tempo é dinheiro.
Obrigada de qualquer maneira,
Beijos chuvosos
Gloria

Pitanga Doce disse...

Outro senso? O senso que falta a essa cambada que quer saber sobre senso é o senso do ridículo. Não falo dos "perguntadores" e sim dos "aproveitadores" que infestam as florestas verdejantes.

Ano de eleição é "flórida"!

beijos bela. Tá melhor?

Tiago Medina disse...

Uma vez já respondi um censo, mas só uma vez. Mas pesquisa do Ibope, ah, essa nunca...
Pô, só pra marcar xis ganha quase mais que eu, que estudei quatro anos numa faculdade? Ó vida, ó céus...

beijos