TRANSLATOR( BLOG OR POST)

28 de set de 2009

Eca!!!! (O nojo é um direito meu!)

Antes de mais nada, não conheço a autora, nem entendo muita coisa de bactérias, mas por que buscar no supermercado uma coisa dessas, se basta ir à horta ou ao corredor das verduras e legumes?


"A verdade sobre o Activia.

Afinal, o que é Activia? O que são os bacilos DanRegularis?

"Bifidobacterium animalis é uma bactéria anaeróbica gram-positiva encontrada nos intestinos de animais de grande porte, inclusive humanos."

Qual seria então a fonte para se obter o famoso DanRegularis?

NÃO, você não está enganado. São as FEZES HUMANAS.., SIM, SIM E SIM!

Mas o absurdo não para aí. "Muitas empresas têm tentado registrar subespécies específicas como uma técnica de marketing, renomeando estas subespécies com rótulos pseudo-científicos."

A Danone (Dannon) protocolou como marca registrada a cepa DN 173.010, e comercializa o organismo nomeando-o de:Bifidus Digestum (Reino Unido), Bifidus Regularis (EUA e México), Bifidubacterium Lactis ou B.L. Regularis (Canadá),DanRegularis (Brasil) e Bifidus Artiregularis (Argentina, Áustria, Bulgária, Chile, Alemanha, Itália, Irlanda, Romênia, Rússia e Espanha).

Cientificamente, o nome correto desta cepa é Bifidobacterium animalis subsp. animalis, strain DN-173.010.

O motivo pelo qual a bebida láctea Activia ajuda na digestão é o simples fato de que a bactéria adicionada pela Danone pertence a uma cepa mais irritante para a mucosa intestinal, que ao entrar em contato trata de expelir o mais rapidamente possível o material fecal.

Sejamos honestos. É saudável, a longo prazo, acostumar o sistema digestivo (ou mais modernamente, sistema digestório) humano a somente funcionar pela introdução de um material irritante/estimulante? Isso não seria viciar o organismo? Não seria mais coerente consumir mais fibras e menos pão branco, o verdadeiro culpado pelos problemas intestinais?

Alimento probiótico, eles dizem... Até quando vamos ser ingênuos (ou seria mais correto otários) de acreditar cegamente em propagandas e em campanhas de marketing??

A bebida láctea contendo Bifidobacterium animalis sp vem sendo comercializada pela Danone pelo mundo afora desde 1990, mas somente no Brasil tiveram a cara-de-pau de colocar o nome da marca Danone (DanRegularis) no nome científico registrado.

Mas, sinceramente, prefira as verduras ao leite de cocô doce.
EM OUTRAS PALAVRAS, A TAL DE BEBIDA LÁCTEA TEM MERDA MESMO!!!!!!"


Marília C. Duarte(Nutricionista)São Paulo - SP

O negrito e destaques coloridos são meus. O restante é cópia ad litera.

Estou morrendo de rir do cocozinho que foi lavado e lavado e lavado. Bom apetite!

Antes de emitir opinião, fazer julgamentos ou deixar comentários de nível rasteiro, por favor, leia esse texto, assinado por uma médica veterinária, que defendeu tese sobre o assunto.

18 comentários:

Clarice disse...

Por opção, não costumo dar atenção a anônimos, mas agradeço a sugestão.

De qualquer modo não há como esquecer disso ao tirar a tampinha de um potinho dessa coisa,há?

Anonymous disse...

Não conheço a assinante deste texto, mas não poderia deixar passar em branco. Sou mestre em Tecnologia e Inspeção de Produtos de Origem Animal pela UFMG e o tema de minha pesquisa foi exatamente esse - OS PROBIÓTICOS. Probióticos são microrganismos benéficos a saúde humana. E uma das espécies mais importantes são as Bifidobactérias. Quando nascemos, nosso intestino não possui nenhum tipo de microrganismos e as primeiras a colonizarem nosso intestino são as bifidobactérias. Ao colonizar nosso trato intestinal impedem que microrganismos patogênicos se fixem a mucosa intestinal, produzem substâncias que estimulam o peristaltismo, produzem substâncias "antibióticas" combatendo os microrganismos indesejáveis, estimulam o sistema imunológico, previnem câncer, etc. Inclusive o principal nutriente das bifidobactérias são açúcares (Prébioticos) presentes no leite materno. Já existem diversos trabalhos científicos que comprovam os efeitos benéficos das bactérias probióticas. Entretanto, para que consigam chegar ao intestino é necessário que sobrevivam ao suco gástrico e aos sais biliares. E existe um consenso de que se a bactéria for isolada da própria espécie a que se destina, a chance dela ser resistente e colonizar o intestino será maior. No Brasil, já foram desenvolvidas diversas pesquisas e com o isolamento de microrganismos de humanos e de animais. Na área de veterinária, o uso de probióticos na criação de aves, suínos, bezerros diminui ou substitui o uso de antibióticos e melhora o desenvolvimento animal.

Sendo assim, a PRO BIOTICO significa a favor da vida. E, ainda bem que nosso intestino está repleto deles. O nome que damos a eles é MICROBIOTA intestinal. Uma microbiota equilibrada (ecossistema) é nossa primeira defesa contra microrganismos patogênicos. Quando ingerimos um alimento com bactéria patogênica é preciso que ela rompa esse equilibrio e colonize a mucosa intestinal.

Não posso falar da eficiência do Activia, pois não o testei. Mas quanto aos probióticos sou uma defensora. E no Brasil isso ainda é novidade. E na Europa e no Japão já existem até balas e sorvetes com probióticos. Além de diversas pesquisas e trabalhos comprovando a sua eficiência.

E não tenha receio de estar comendo cocô. O fermento (bactérias) utilizado na fabricação do iogurte são preparados de forma que só as bactérias são adicionadas ao produto. É mais seguro e higiênico que nossa própria boca.

Abraço,

Tânia Resende Garcia
Médica Veterinária
Mestre em tecnologia e Inspeção de Produtos de Origem Animal - UFMG

Clarice disse...

Tânia, não duvido da necessidade que temos de bactérias, pois somos em grande parte dependentes delas e "construídos" por elas, o que você sabe melhor, muito melhor do que eu.
Os probióticos uso inclusive para meus animais de estimação e sou fã de iogurtes e similares(fui talvez uma das primeiras pessoas em SC a usar o Yakult, quando ainda era entregue de casa em casa), muito embora não possa usá-los como gostaria, pois tenho restrições alimentares decorrentes de uma cirurgia de grande porte.
O que quis ressaltar aqui, menos do que a opinião escandalizada da dita nutricionista, foi a ironia dessa nossa dependência de produtos industrializados, quando temos disponíveis em nossas hortas e pomares muito do que precisamos.

A bandeira do actívia é a evacuação diária, correta e saudável, o que já os orientais defendem há séculos. Todavia, as letrinhas da propaganda exigem uma dieta saudável para o desafio, o que poucos conseguem assimilar como necessidade básica.

Parabéns pelo seu trabalho, que, tenho certeza, foi muito bem elaborado, haja vista seus argumentos e obrigada por deixar seu comentário de especialista.

Todavia, repito: nunca mais conseguirei abrir um alimento desses sem pensar em seus componentes como algo sugestivamente escatológico. :)

Um grande abraço e volte para honrar meu bloguinho.

neu disse...

Querida amiga...
Notei que a Danone está "esperta" com o assunto. De 55 envios de email meus com esse assunto, 28 amigos tiveram resposta da Danone, sem que eles assim solicitassem.

Clarice disse...

Neu, e o que mais você esperava de uma gigante do porte dessa empresa?
Abraço.

Anonymous disse...

Oi, Clarice!
Meu nome é Aline Almeida, trabalho em uma agência de relações públicas, a Ketchum Estratégia, e faço assessoria da Danone.
Gostaria de conversar com vc sobre este post. Para que email posso escrever? O meu é aline.almeida@ketchum.com.br.
Um beijo e obrigada!
Aline

Clarice disse...

Sra Aline, sugiro que se dê pelo menos ao capricho de ler a matéria escrita pela Mestre da UFMG, antes de deixar novo comentários solicitando meu e-mail.

O seu outro comentário já foi respondido e já recebi cópia da resposta-padrão que a sra. mandou para um amigo meu. Obrigada, dispenso.
Passe bem!

Pansamento disse...

Também gostaria de deixar registrado sobre essa declaração (mentirosa):
Nos últimos dias, alguns fóruns e blogs reproduziram textos sobre o iogurte Activia da Danone e sobre o bacilo DanRegularis. Gostaríamos de esclarecer algumas informações que estão sendo incorretamente publicadas: o DanRegularis é o nome comercial do bacilo, exclusivo da Danone, registrado com nome científico Bifidobacterium animalis, cepa DN 173 010, no Instituto Pasteur, em Paris e não faz parte da flora intestinal nativa de humanos. Esse gênero de bactéria não apresenta nenhuma característica que irrite ou agrida a mucosa intestinal.

Além disso, nos textos divulgados, algumas informações ligadas à origem e ação desta bactéria são incorretas. Veja abaixo o por quê:

O Bifidobacterium animalis DN 173-010 não faz parte da flora intestinal nativa de humanos, não compõem suas fezes e, desta forma, não poderia ter sido isolada deste material.
A Danone esclarece que a bactéria Bifidobacterium animalis DN 173-010, conhecida como probiótico DanRegularis, é obtida da replicação em meio de cultura estéril, da mesma forma que outros fermentos utilizados em iogurtes, queijos e pães. A bactéria está depositada na coleção de probióticos do Instituto Pasteur, em Paris, sob o número de registro I – 2494. Desta forma, o probiótico que Activia contém é uma replicação dessa bactéria.
Outra afirmação que esclarecemos é a de que o probiótico DanRegularis não tem efeito laxante, ao contrário do que afirma o texto. O produto não provoca irritação na mucosa do intestino e não tem efeito diarréico, como os laxantes. O efeito do probiótico DanRegularis consiste em aumentar a produção de ácidos graxos de cadeia curta, abaixando assim o pH intraluminal, estimulando o peristaltismo, que são os movimentos musculares que movem o bolo alimentar pelo trato digestivo.
O iogurte Activia é registrado no Ministério da Agricultura e possui diversos estudos clínicos, realizados pelo departamento de pesquisas da Danone e por diversas universidades do mundo, publicados nas mais reconhecidas revistas científicas, comprovando o benefício do produto.

O iogurte Activia está presente em mais de 40 países e, aqui no Brasil, está presente desde janeiro de 2004. A Danone, líder mundial de produtos lácteos frescos e água mineral, presente em mais de 120 países, é comprometida em levar saúde e nutrição aos seus consumidores e o iogurte Activia é um exemplo disso.

Clarice disse...

Pansamento, o berreiro é livre! Ufa, vou repetir:nada, nadica me fará colocar na boca alguma coisa que, de acordo com a especialista na matéria(veja o comentário da mestre Tânia,acima(, pode, até pode, vir de intestinos humanos.
A ignorância às vezes é um alívio,viu?

Clarice disse...

Thalia, esse é po tesxto padraão que a Danome remete a todos os leitores.

Gostaria que você lesse o comentário da mestre que defendeu tese sbre o assunto em que ela afirma que quanto mais próximas da espécie a que se destinam, melhor efeito. Vai daí...
A idéia não é difamar, mesmo porque não foi o caso. A idéia é que eu não vou tirar essa posssibilidade de minha cabeça nunca mais.Podem lavar até virar floquinho.

E por último: obrigada, não preciso da Danone para nada.
Abraço.

Anonymous disse...

Caramba Dna Clarice, a senhora não é nem um pouco razoável. Eu recebo tantos e-mails mentirosos, até de banco de olhos jogando córneas fora... Acho que as pessoas devem pensar e pesquisar antes de encher nossa caixa postal de falsidades. Aliás devem ter muito tempo pra ficar repassando bobagens tipo essa. Tomara que Deus nunca permita que vc precise da Danone. E se vc conseguir pensar como uma empresária, como reagiria com uma calunia dessa? A Danone e outras empresas estão ai pra inclusive gerar emprego para o povo do nosso pais que necessita tanto. E se vc come alguma coisa na rua, duvido que nunca comeu um cocozinho junto rsrsrs.

Clarice disse...

Anônimo:
Primeiro que eu não acredito em Deus.
Segundo: o blog é meu e eu publico o que me der na telha.
Terceiro: o berreiro é livre.
Quarto: se você acha que gerar empregos a qualquer preço é bom, peça uma vaguinha no barzinho que vende álcool misturado com iodo, ou para quem fabrica fogos de artifício clandestinamente, ou contrata crianças para vender drogas.
Orra, meu! Releia os comentários, e veja se percebe que eu não falo da Danone. Eu ironizo o fato, bocó!
Quem se esconde no anonimato merece comer Danone mesmo, viu?
Saúde!

Henrique disse...

Olá Clarisse,
recebi este e-mail e também postei em meu Blog,.. a +/- uns 3 dias atrás, e ontem uma pessoa que apresentou-se como ligada ao setor de comunicação da empresa fez contato comigo,.. dei retorno ao comentário e estou aguardando pra ver no que vai dar,.. apartir dai fui na web buscar mais infrmações sobre postagens relativas ao assunto e foi assim que te encontrei,.. tu tens meu apoio pois é bem como tu dissestes "O berreiro é livre" e completo: "o que é verdade deve ser dito,.."

Bom.. no mais era isso se quiser fazer algum contato comigo fique a vontade..

Abços
Henrique Santos
www.twitter.com/henriquesantos
http://mancandolivre.blogspot.com/

luiz disse...

Clarice

Antes de qualquer coisa, este é "seu blog".
Dar continuidade à sua leitura, é indicativo de afinidade em algo...

O seu foco quanta ao tema é:
+ Busque na natureza, via alimentação saudável e/ou reeducação alimentar, aquilo que vá te causar melhoras e benefícios;

Em relação ao e-mail que circula, nesses balaios de lendas urbanas, vemos meias-verdades ou distorções dos fatos.

Diante disso vemos retratações, defesas e outros bichos.

A participação da mestre da UFMG é de uma leitura colaborativa.

Finalizo alertando que ignorando tanto a forma como nosso organismo se comporta diante do que se come, quanto o poder na diversidade alimentar; seremos cada vez mais dependentes de "fórmulas", para que funcione.

Um beijo
Luiz Antonio

Cláudio disse...

Nossa, a discussão parece calorosa! Essa semana também recebi um e-mail sobre o assunto. Mas antes de repassar, estou pesquisando. Quem está com a verdade? Ainda não sei, mas o importante é que todos devem procurar saber o aasunto antes de escrever ou omitir qualquer opinião,

Um forte abraço a todos.

Graziela disse...

Meu nome é Graziela Brinques, Engenheira de Alimentos e trabalhei no meu doutorado com produção e aplicação de probióticos em alimentos. Além disso, su professora Universitária.
Primeiramente, probióticos são microrganismos vivos que ingeridos em quantidades adequadas são capazes de melhorar o balanço da microflora intestinal. Os principais microrganismos, reconhecimente como probióticos são dos gêneros Bifidobactérias e Lactobacillus, contudo temos diversos outros microrganismos já estudados e reconhecidos como probióticos. Na tabela abaixo seguem alguns dos microrganismos reconhecidos e utilizados como probióticos.


L. acidophilus
L. amylovorus
L. casei
L. crispatus
L. delbrueckii subsp. bulgaricus
L. gallinarum1
L. gasseri
L. johnsonii
L. paracasei
L. plantarum
L. reuteri
L. rhamnosus
B. adolescentis
B. animalis
B. bifidum
B. breve
B. infantis
B. lactis2
B. longumEnterococcus faecalis1
Enterococcus faecium
Lactococcus lactis
Leuconostoc mesenteroides
Pediococcus acidilactici
Sporolactobacillus inulinus1
Streptococcus thermophilusBacillus cereus var. toyoi1,3
Propionibacterium freudenreichii1,3
Saccharomyces cerevisiae3
Saccharomyces boulardii3

1Aplicação principal para animais.
2Provavelmente sinônimo em relação a B. animalis.
3Aplicado principalmente como preparações farmacêuticas.
Fonte: HOLZAPFEL, et al., 2001.

Entre os critérios para a seleção das cepas probiótica da pela FAO/WHO (não pela Danone), diz que preferencialmente estes microrganismos devem ser isolados da flora natural dos hospedeiros (ou seja, a quem eles vão ser administrados) ou microrganismos isolados de alimentos de reconhecido e prolongado uso. Isso se deve ao fato destes então quando administrados as pessoas ou animais (sim, probióticos são usados também por animais, e muito mais intensivamente) eles terão menor risco de ocasionar algum problema.

Paloma gomes disse...

Clarisse, achei muito interessante seus comentários, alias não só interessante como de grande avalia. e concordo com vc que existem empresas e consequentemente pessoas que fazem de tudo para subir na vida, mesmo que coloquem a vida de pessoas em risco, pois isso aconteceu com minha filha que tomou um liete da parmalat que estava contaminado com fungos filamentosos, precisou ser internada 2 vezes e correu risco de morte, e com isso vem sofrendo de fortíssimas dores de barriga, ah, isso aconteceu bem na época do escandalo do leite adulterado, e o pior disso tudo isso é o descaso com o consumidor, pois qdo liguei para informar sobre o acontecido, me disseram que eu não devia ter mandado o leite para a analise na vigilancia sanitária, e que qdo acontecesse isso era só ligar que eles trocariam o produto, sendo o que eu queria não era a troca e sim uma solução para o meu problema que se arrasta até hoje. com isso vemos onde anda a tal`preocupaçao e respeito com o consumidor`mesmo se tratando de uma das maiores empresas e nome do mercado: parmalat.
agora só fiquei triste com uma coisa: qdo vc disse que não acredita em Deus, que pena que ninguém é perfeito. mais tudo bem, mais uma vez, parabéns pela inteligencia e capacidade.

Clarice disse...

Paloma, desejo sinceramente que sua filha melhore completamente e que você tenha sucesso absoluto no processo contra a empresa.
Quanto a acreditar ou não em deuses, bem, eu não acredito em todas as invenções humanas, sabe?
Abraço.