TRANSLATOR( BLOG OR POST)

22 de jun de 2009

O pior cego é o que fecha os olhos


Em 22 de junho de 1633, numa sala do convento dominicano de Santa Maria Sopra Minerva, em Roma, encerrou-se um dos episódios mais controvertidos da história: o julgamento de Galileu Galilei pela Santa Inquisição, sua condenação e subsequente renúncia à crença de que a Terra gira em torno do Sol.

Galileu Galilei, físico, astrônomo e matemático, aos 69 anos de idade, foi obrigado a ajoelhar-se perante o Tribunal da Santa Inquisição e a proferir a seguinte abjuração(Um primor de declaração!):

" Eu, Galileu Galilei, filho do falecido Vincenzio Galilei de Florença, com a idade de setenta anos, sendo trazido pessoalmente a julgamento, e ajoelhado diante de vós, Eminentíssimos a Reverendíssimos Lordes Cardeais, Inquisidores Gerais da Comunidade Cristã Universal contra a depravação herética, tendo diante de meus olhos o Sagrado Evangelho que toco com as minhas próprias mãos, juro que sempre acreditei, e, com a ajuda de Deus, acreditarei no futuro, em todo artigo que a Santa Igreja Católica Apostólica Romana mantém, ensina e prega.
Mas por ter sido ordenado, por este Conselho, a, abandonar completamente a falsa opinião que mantém que o Sol é o centro e imóvel, e proibido de manter, defender ou ensinar a referida falsa doutrina de qualquer maneira (...).
Estou desejoso de remover das mentes do nossas Eminências, e de todo Cristão Católico, essa veemente suspeita acertadamente mantida a meu respeito, portanto, com sinceridade de coração e fé genuína, eu abjuro, maldigo e detesto os referidos erros e heresias, e, de modo geral, todos os outros erros e seitas contrários à referida Santa Igreja; e juro que jamais no futuro direi ou asseverarei seja o que for, verbalmente ou por escrito, que possa motivar uma suspeita similar de mim; mas que se eu souber de algum herético, ou de alguém suspeito de heresia, denunciá-lo-ei a este Santo Conselho, ou no Inquisidor ou Ordinário do lugar em que eu esteja.
Juro, mais ainda, e prometo que cumprirei observarei plenamente todas as penitências que a mim tenham sido ou venham a ser impostas por este Santo Conselho. Mas, caso aconteça que eu viole qualquer de minhas promessas, juramentos e protestos citados, eu me sujeito a todas as dores e punições decretadas a promulgadas pelos sagrados cânones e outras constituições gerais e particulares contra delinquentes dessa descrição.
Assim, que Deus me ajude, a Seu Sagrado Evangelho, que eu toco com as minhas próprias mãos; eu, o acima citado Galileu Galilei, abjurei, jurei, prometi e me comprometo como acima; e, em testemunho do que, com a minha própria mão subscrevi o presente escrito de minha abjuração, que eu recitei palavra por palavra."

O julgamento de Galileu, em Roma, ficou marcado por uma especial indulgência, e nunca viria a ser preso. Mas o veredicto foi, mesmo assim, de culpado por ter "mantido e ensinado" a doutrina de Nicolaus Copernicus (1473 - 1543), astrônomo e clérigo polaco.

Ao sair do tribunal, Galileu disse uma frase célebre: "E pur, si Muove!", que traduzida diz, "E contudo, ela se move!". Morreu cego e condenado pela Igreja, longe do convívio público.

Em 1983, 341 anos após a sua morte, a mesma igreja, revendo o processo, decidiu pela sua absolvição.

3 comentários:

Tiago Medina disse...

coisas do passado da Igreja.
Por falar nisso, vi "Anjos e Demônios" esses dias (filme muito bom, por sinal) e fiquei bem curioso acerca dos arquivos do vaticano.
O que será que guardam?

São disse...

Te sugiro a leitura de "Santos e Pecadores - História dos Papas", escrito pelo católico Eamon Duffy.

Se um católico escreve aquilo. que mais haverá para saber, meu Deus?!

Um abraço grande.

Clarice disse...

Tiago, você é muito jovenzinho, mas eu li "Os Subterrâneos do Vaticano" e achava que ra ficção!
Que nada. Hoje eles matam de outras formas. Inclusive o espirito.
Abração.

São, salve. Pois voltaste.
Olha, nenhuma religião se salva, não é? A base é o engodo em todas elas.
Um abração.