TRANSLATOR( BLOG OR POST)

26 de mai de 2009

Viu?

Faz tempo que eu garanto que o estresse de quem dirige em Floripa é real e inigualável.

Pois saibam que um pesquisador da Universidade de Brasília, da área de engenharia urbana, conseguiu ratificar minha certeza. Num estudo das conexões, acessos, malha viária central e periférica, planejamento e condições de trafegabilidade, no mundo todo, repito, no mundo todo, só perdemos para uma sofrida população da Malásia.

Então, jurem que no próximo verão, inverno, feriados e festas vocês irão para Gramado, Porto Alegre, Recife, Natal, Lisboa, Porto, Canárias, Ilhas Verdes, Groenlândia, Austrália, Havaí...

Não se deixe enganar por
isto que você assiste aqui. É preciso entrar no centro da Ilha, naquelas ruazinhas dos tempos coloniais, de sentido único, que fazem você rodar quilômetros a mais para chegar ao destino, porque nada se conecta a nada.

Em todo caso, se você der sorte, quem sabe assiste aos engarrafamentos nas pontes às 8:00 horas da manhã, ao meio-dia, ou às 18:00 horas.

E ainda tem isto!

Aproveite a paisagem.

5 comentários:

Pitanga Doce disse...

E eu que já tinha programado uma esticada esta noite à baixa de Floripa. Aí tem baixa não tem?

Ô Clarice, foi você quem me mandou um arquivo com uns faróis e umas ondas muito doidas e que aparece um homem no meio daquela fúria toda? Foi?

É que euzinha perdi este arquivo e queria muito mostrar ao meu mais velho.

Se foi você podia mandar de novo, ó menina Clarice???

beijos e frio, por aqui, nem vê-lo.

Clarice disse...

Pitanga, aqui tem Ilha e continente com vários altos e baixos. Geralmente o pessoal marca o encontro citando o nome da praia ou do restaurante, ou avenida.

Seguirão os fáróis antes da chuva, que se anuncia pela cor do ceu desde o início da tarde. Ainda temos calor de alcinhas. Cobertor à noite, com certeza. É só o vento sul dar uma rabanada.
Beijos

Pitanga Doce disse...

Clarice, cá chegaram os faróis. Aqui parece Verão. Quando começar a chover vai ser de cavalo beber água em pé. Ar condicionado ligado a noite toda. Pode?? Em fins de Maio?

São disse...

Oh, minha linda, Lisboa é igual, rrrss

Beijinhos.

Clarice disse...

São, quem desenhou as primeiras ruas aqui foram teus conterrâneos. Quem chegou depois só continuou a bagunça. Eram ruas para carruagens, cavalos, carretas. Várias delas ainda são de mão única. Nas calçadas dessas ruas só se anda em fila de índio. Dependendo de onde se quer chegar, melhor gastar a sola dos sapatos.
Beijos.