TRANSLATOR( BLOG OR POST)

13 de out de 2008

Mais que uma carta

Hoje é dia do terapeuta. A todos, em especial a ela, que enviou esta mensagem.

Quando me dizem que sou crédula ou positiva demais, é de pessoas e exemplos como esse que eu lembro. Sei das maldades e sujeiras do mundo, mas prefiro pensar e ver coisas assim.

Mensagem recebida hoje:

"Clara, tem coisas que eu sinto que eu posso compartilhar com vc!

Hoje fui ao shopping com meu marido. (...) Bem, eu não aguento andar e claro que tive que pegar uma cadeira de rodas motorizada*.

(...) Comprei umas coisas gostosas e quando eu estava saindo do Carrefour, uma moça me parou e me cumprimentou. Eu fiquei com aquela cara de quem diz: hummmmmm conheço, mas quem é? Eu disse que não me lembrava de onde a conhecia apesar da fisionomia me ser familiar. A moça falou: lá da Apae; sou a mãe do João Vitor.

(...) Essa moça levou seu filho para avaliação há cerca de um ano atrás. Ele estava bastante atrasado e minha equipe e eu fizemos um trabalho do qual eu me orgulho e bastaram 2 meses para que o menino recebesse alta, pois havia conseguido desenvolver-se muito bem.

Isso de alta em tão pouco tempo é meio raro de acontecer. Lembro-me de uns 3 ou 4 casos, apesar de que a memória já não ajuda muito hoje em dia.

(...) Sempre tive forte em meu coração e em minha razão que eu deveria fazer 100% e que se eu tivesse apenas 99% para oferecer eu passaria o caso adiante.

Minha equipe cansou de me ouvir dizer que eu não concordava com pseudo-atendimento. Muitas vezes bati de frente porque as "meninas" do grupo diziam, antes conosco do que sem orientação nenhuma. Eu sempre fui radicalmente contra. Pois se tem quem possa fazer algo de forma adequada para a criança, não tem porque eu me propor a oferecer apenas parte do que essa pessoa efetivamente necessita.

Em 1986, tivemos um caso assim: uma criança com atraso global no desenvolvimento que logo se adequou, e então por volta dos 9 meses de idade nos demos conta de que a criança não ouvia. Foram feitos testes e o problema foi confirmado. Nessa época só havia tratamento adequado na cidade vizinha (Campinas) cerca de uns 100, 120 km de Sorocaba. Eu bati o pé e disse que eu não atenderia a criança, pois eu não saberia como lidar com ela e eu estaria assim promovendo uma defasagem intelectual em uma pessoa que poderia ser normal.

Foi um trololó na equipe, mas chamamos a família e colocamos claramente o que estava acontecendo. Estou emocionada aqui...Bem, a família se mudou para Campinas e a criança recebeu o atendimento que precisava.

(...)Eu tenho um orgulho imenso de mim mesma nessa hora. De saber que eu fiz sim a diferença.

Há uns 2 anos atrás encontrei uma mãe que me disse assim: vc atendeu a minha filha há 18 anos atrás. Vc me orientou, me cobrou, foi dura comigo. Saí chorando e odiando vc. Mas hoje, 18 anos depois eu a agradeço todo dia. Pois olha só a minha filha como está!

Essa menina teve um AVC (derrame) dentro da barriga da mãe e nasceu literalmente com metade do cérebro. Na outra metade não havia nada, apenas o líquor. O neurologista me chamou e disse: essa criança não vai andar, não vai falar e não vai ser independente jamais. Olha o tamanho de minha ousadia..rs...Eu virei para ele e disse: eu vou fazer de conta que eu jamais vi essa tomografia, pq se eu apostar que essa menina jamais vai falar, andar, etc e tal, com toda certeza ela não vai mesmo.

Conclusão, essa menina anda, fala, se vira mt bem sozinha, foi alfabetizada, claro que tem uma sequela no hemicorpo devido ao AVC, mas nada que seja tão grave que a impossibilite de se virar sozinha.

Eu sempre tive comigo, que eu jamais ia querer passar por uma mãe e me envergonhar de ter feito uma bela caca ou apenas um pedacinho do que poderia e deveria ter sido feito.

Menina! Hoje fiquei radiante viu!!! Como é bom poder colher ainda os frutos que eu plantei lá atrás, mesmo estando há quase um ano sem "por a mão na massa".

Ah! Eu precisava dividir isso com vc. Sei o quanto vc me estima e sei o qto vc valoriza isso tb. Queria compartilhar com vc a minha alegria. Os confetes eu mesma já atirei sobre mim e durante estes anos todos de trabalho, muitas vezes eu beijei a pontinha de meus dedos e levei meu beijo a minha face e me disse: muito bem, Mara!!!

Eu mesma me estimulei muitas vezes. Nunca precisei que ninguém viesse me dizer que legal! Que bom! Eu sabia e muito bem do meu dever, da minha obrigação e mais do que tudo, do meu compromisso com cada ser humano que passava pelas minhas mãos.

E eu sou grata aos anjos, aos santos, a Deus, ao papai noel, seja lá a quem for...rs, por essa benção e privilégio que eu tive de poder mudar a qualidade de vida de sei lá de quantas pessoas.

Bem, eu precisava contar isso à vc. Eu queria te ver feliz como eu estou.

Obrigada por ler atentamente meu relato e se emocionar comigo...rs. Te conheço, sei que vc tb está aí vibrando minha amiga amada!

Sds peroladas,

Mara Regina**"

(*) e (**)Mara Regina é uma terapeuta que cuida de crianças com problemas cerebrais. Não precisa de fama nem de aplauso por esse trabalho, como ela mesma diz. Lutou bravamente contra a obesidade mórbida, ficou e se mantém magra, passou recentemente por cirurgia na coluna, razão porque de vez em quando dispara por corredores de cadeira de rodas, e sem demora fará uma correção nos joelhos. Além do marido e do filho, cuida de irmãos doentes. Também borda. Já foi premiada como poetisa e aos poucos volta à internet. Nem precisa dizer que está doidinha pra voltar a cuidar das crianças.

É uma pessoa que eu aplaudo todos os dias.

8 comentários:

salvoconduto disse...

É um exemplo de vida!

Abreijos para ela e para você.

Helô disse...

quando a gente vê pessoas assim se dá conta que temos muito a fazer.

muito obrigada por dividir essa lição conosco.

leonor costa disse...

Grande mulher! É de exemplos destes que precisamos para nos dar força! Terminei a leitura com uma lágrima ao canto do olho...

Beijinhos

Clarice disse...

SalvoC, entregarei. Ela merece.
Beijos para você também.


Helô, nem tudo neste Brasilk está perdido, não é?
Beijos

Leonor, essa mulher é uma fortaleza e cheia de amor como essas crianças precisam. Li seu e-mail e responderei depois de ler outras várias vezes.Você não está nenhum degrau abaixo de Mara.
Beijos.

W.Henrique disse...

Pronto. A Mara Regina acabou de ganhar um admirador incondicional. O trabalho dessa senhóra é coisa muito séria e é extremamente gratificante poder dizer a ela, através do teu blog, que não se encontram pessoas assim todos os dias e que éla é um exemplo para as milhares de profissionais que atuam nesta área. Parabéns Clarice, por poder divulgar algo tão maravilhoso.

Um abraço

Waldemar

Mara Regina disse...

Salvoconduto, Hêlo, Leonor, Waldemar, fico feliz que a minha alegria e emoção tenha contagiado a vocês também. Eu daqui fiquei emocionada com cada linha escrita por vocês. Como é bom poder compartilhar as nossas alegrias com quem tem sensibilidade para compreendê-las. Clarice, meu amor, obrigada pela amiga amada e generosa que você é!!! Bjs perolados a todos,
Mara Regina
;-)

Anonymous disse...

Emocionante, parabéns pelo trabalho Mara Regina!

Bjs Clara!

Ângela

disse...

Pessoas como voce Mara nos fazem crer que amor e dedicação podem salvar vidas!!!!Parabéns trabalho brilhante,vc é uma estrela!!!!bjsss
Márcia