TRANSLATOR( BLOG OR POST)

14 de ago de 2008

Saudade antecipada

Tá certo que ele nunca me convidou para um drinque. Nem para um papo de final de tarde, nem para saber se eu gostei do último trabalho dele.

Também nunca tomei chá com a bela esposa dele. Nem de longe conheci os filhos deles. Só em fotos de revistas. Mas fiquei triste quando soube que um dos filhos morreu.
Na verdade ele nem sabe que eu existo. Só desconfia que existe em algum lugar no mundo alguém que sofre de admiração compulsiva por ele, pela sua arte, pela sua integridade. Vá lá, seja sincera: pela sua beleza, que não diminuiu com a passagem dos anos.

Aquele rosto lindo e expressivo, que parecia saber fazer cinema desde criança. Os olhos de um azul de vidro.

Aí, fico sabendo que ele está para morrer, aos 83 anos. Aguarda a morte em casa.

É estranha essa relação de um artista com parte de minha vida em momentos de folga ou de tristeza, ou de alegria. Esse respeito que tenho por um artista que nos enganou com suas dores e alegrias de mentirinha. É estranho. Talvez porque Paul seja um dos poucos que parece humano naquele amontoado de egos.


Interessante que ao pensar nele, em primeiro lugar sempre lembro dele ser um dos poucos que teve uma vida familiar estável, pelo menos na aparência, que ninguém sabe, né? Logo eu, que não dou um tostão furado pelo casamento de ninguém. Mas nem é isso. É aquela cumplicidade que se via neles quando apareciam juntos.

Então um belo dia eu vou ligar a televisão e em menos de 2 minutos vão resumir a vida e a arte dele.

A televisão e o cinema chegaram tarde em minha vida, mas a tempo e poder admirar esse homem. Sorte a minha.



Algumas das fotos vieram daqui:via google

8 comentários:

W.Henrique disse...

Oi Clarice.
Participo contigo na tietagem do Paul Newmann. Ele foi, realmente, um ator extraordinário, único na forma de atuar, com trabalhos excepcionais e que contribuiram , em muito, para a história do cinema.Tenho em casa o DVD e vez por outra, por pura saudade, assisto o seu desempenho notável no memorável "Butch Cassidy" onde ao lado do também notável Robert Redford fez um trabalho digno dos melhores elogios. É....o tempo é cruel. As pessoas envelhecem mas, no caso do Paul Newmann que era um ator reconhecido, a gente teima em achar que êle continua a mesma coisa.
Um abraço

W.Henrique

Helô disse...

Ele é eterno.

beijo.

Susana disse...

Oi Clarice. Há quanto tempo que não converso contigo, não é mesmo? Mas não faz mal, eu sempre dou uma espiadinha nos teus posts. Paul Newman, inevitavelmente me lembra do primeiro filme que vi dele: Butch Cassidy. Era pequena ainda, e assisti com um bando de primos pirralhos, num cinema perto de minha casa. No tempo do cinema de bairro, lembra? Ah, não faz tanto tempo assim... Acho que a última vez que o vi foiu num filme junto com aquele ator sem sal do Kevin Costner. Ele faz parte de uma geração de atores, que dificilmente vemos atuar hoje em dia. Não que não goste do cinema atual, mas eles sempre terão esse charme que acredito ser eterno e especial. Um beijo. E começou a chover de novo em Porto Alegre...

Clarice disse...

Waldemar, esse cara deixou de ser galã para ser um verdadeiro artista. Dá de dez a zero em uma lista de mascarados e fabricados.
"Rain drops kepp falling on my head...". Eu fugi da aula pra ver esse filme.
Beijos.

Helô, que homem fantástico, não?
Beijos.

Suzana, pensei que você tivesse encontrado aquele cara que ganhou sozinho o tal sorteio e estivese nas Maldivas! (mas eu continuei amandar mensagens. Vai que você precisasse de uma assistente, né?)
Bom ter você aqui outra vez.
Paul é um daqueles que espalham a luz que mostram nos olhos.
Eu acabei de escrever "Segura essa água aí, que aqui já molhamos a grama!" e escuto a chuva lá fora. Mas é bom.Hoje foi um dia com temperatura de primavera. Puxaremos o edredon outra vez.
Beijos.

Helô disse...

"Rain drops keep falling on my head..."

eles cairam aqui o dia inteiro hoje - e continuam a... te prepara que amanhã eles tão chegando aí.

BUH disse...

Saudades de ti, Clara!
^^
Vamos combinar uma visita para o veraneio que vem! POis esse ano foi rápida de mais! ahahahha nem deu tempo de ver o marzão desse lado ai!
haha
beijocas!
buh

São disse...

Também admiro Newman e desconhecia estar agonizante!
Espero que vá em paz e sofrendo o menos possível.
Um abraço.

Clarice disse...

São, quando nossos ídolos morrem nos esfregam na cara nossa transitoriedade e nos fazem ver o quanto o tempo passou.
A esse eu devo bons momentos!
Beijos.