TRANSLATOR( BLOG OR POST)

11 de ago de 2008

Notícia que acaba de chegar

A editora mandou hoje a seguinte mensagem:


Aguardem Taxitramas Vol. 2




A Editora Sulina apresentaTAXITRAMAS Diário de um Taxista de Mauro Castro

No Brasil é mais provável que um escritor acabe virando taxista, do que um taxista venha a tornar-se um escritor. Mauro Castro, no entanto, é um taxista capaz de contrariar esta lógica.

Quem acompanha sua coluna no jornal Diário Gaúcho, ou seu blog na Internet, já conhece a capacidade deste profissional do volante de verter para o papel as incríveis histórias do cotidiano de um motorista de praça.

Observador privilegiado, o escritor por trás do volante capta as situações mais diversas possíveis. Entre as quatro portas do seu táxi ou pela moldura do pára-brisa, se desenrolam casos que beiram, muitas vezes, o absurdo, o surreal. Tudo é registrado no verso de panfletos que o taxista recebe nos semáforos e posteriormente passado para o computador, em um processo de criação tão improvável quanto o talento literário que brota em meio ao caos urbano.

Quem espera encontrar neste livro o relato puro e simples do dia-a-dia de um taxista pode ter, porém, algumas surpresas. Muito mais do que o conteúdo, o que chama a atenção é a forma como as histórias são narradas. Com um estilo apurado e literário, seu texto flui aos olhos dos leitores num bem-humorado fazer da linguagem que dribla as armadilhas das letras com a mesma habilidade com que o motorista percorre os intrincados caminhos da cidade.

Depois do sucesso da coluna no jornal Diário Gaúcho e da fama de blog star, Taxitramas ganha sua versão em livro. Quem ganha é o leitor, que pode levar para casa, pelo preço de algumas bandeiradas, um táxi repleto de corridas inesquecíveis.


Mauro Castro nasceu em Viamão, é taxista há 20 anos em Porto Alegre. Escreve semanalmente para o jornal Diário Gaúcho e mantém na Internet o blog http://www.taxitramas.blogger.com.br/, além de ser músico e desenhista.


Capa: Letícia Lampert

Preço de Capa: R$ 20,00

ISBN: 85-205-0444- 2

Nº de páginas: 128

Departamento editorial e divulgação: (51) 3019.2102 http://www.livrariacultura.com.br/


Editora Sulina/Sul Editoreshttp://www.editorasulina.com.br/

Compre aqui e ganhe o seu exemplar autografado.Tel (51) 3019-2102

A amiga e admiradora recomenda mesmo antes de ler o exemplar.

Parabéns, Mauro! Sucesso!

A propósito, aquele seriado sobre histórias de um taxistas não é mera coincidência. A rede Globo fazendo isso, hein?

5 comentários:

salvoconduto disse...

Já adicionei o blogue taxitramas aos meus e já apanhei o táxi para o último post, mas fiquei desolado...então não é que as mininas já não virgens, tadinha da mãe!

Abreijo e o brigado pelo link

Bruna disse...

OI Clarice! Saudade de visitar o seu site! Ba, fiquei doente mesmo com suspeita de meningite! que coisa séria... Quando cheguei aqui tomei um susto a capa do livro do meu papi ali grandona! heheh adorei o post! Beijocas.

Mauro Castro disse...

Quer uma notícia, ainda, mais fresquinha? o prefácio deve ser do nosso amigo Carpinejar.
Há braços!!
PS: saudade

Luis Gomes disse...

Oi, gostei do seu blog. E a surpresa de ver a capa do livro do Mauro Castro, que aliás, tenho orgulho de ser editor dele. Abraço

Clarice disse...

Salvo C., quando as expectativas são altas é mais fácil ter decepções!
Não tem como não gostar do que Mauro escreve, não é?
Soube pela filha dele que ele está escrevendo num blog de Portugal. Assim que eu descobrir o nome publico.
Abraço.

Bruninha, que susto! Por isto você ficou tão quietinha por tanto tempo?
Que bom que voltou! E cheia de novidades.
Beijo grandão.

Mauro, esse é o tipo de spam que dá gosto receber. Quando tiver a data da publicação mande recadinho.
O Fabro é um selo de garantia que eu admiro e leio muito.
Parabéns de novo.
Abraço.

Luís, você é muito gentil. Obrigada pela visita e incentivo.
Tomara que vocês tenham insistido para o Mauro também "rabiscar" desenhos junto dos posts.
Orgulho do Mauro é muito fácil sentir, não é? Não só como blogueiro, escritor e desenhista, mas como gente boa barbaridade de bueno, tchê!
Abraço.