TRANSLATOR( BLOG OR POST)

31 de jul de 2008

Taish tolo, taish?

Com tradução, especialmente para quem já andou pelo Brasil todo, mas é paulista de Taubaté!

"No final do arrastão, quando milhares de tainhas pulavam nas areias da praia, um rapaz surrupiava algumas e já se esgueirava entre a multidão que ali estava assistindo à bela cena do triunfo dos manezinhos pescadores, quando foi interpelado por um deles , que, largando o balaio na areia, correu e disse-lhe:

Ó, lhó, lhó, rapagi, tás tolo, istepô, intiquento, miserento, digraçado!
Olha aqui, rapaz, o que é isto? Seu praga, provocador, miserável,desgraçado!

A pinta da tua mãe tá cheia de bicho berne!
Tua mãe é uma vagabunda podre!

Tás querendo uma camassada de pau, sô amarelo?
Queres levar uma surra, seu minguado?

Num tô ti parando pelo valori das tainha, cadiquê tempeixe à migueli, magi pramode di ti dizê pra ti, caquí na Ilha num tem genti da tua parecença.
Não estou te fazendo parar pelo valor das tainhas, que aqui tem peixes aos montes, mas pra dizer pra ti, que aqui na Ilha não tem gente da tua laia.

Sí tás brocado e maleixo, tudu bem é só pedi qui nós dãmu; magi si é a farsafé, e di malinagi pra engabelar e morcegar nós,qui tamo aqui di sóli-a-sóli no maió saragaço, ti acarqueto os zóio, tienfenco a mão nas venta e ainda chamo os meganha pra ti alevá!
Se estás com fome e sem dinheiro, tudo bem, é só pedir que nós damos; mas se é por má-fé e de malandragem para enganar e nos lograr; nós que estamos aqui de sol a sol na maior trabalheira, te furo os olhos, enfio um soco no nariz e ainda chamo a polícia pra te prender!

O rapaz, ainda meio atordoado, pergunta baixinho: " Meu caro pescador, afinal eu levo ou não levo os peixinhos?"

Comentário de Neu: "Nas minhas andanças por nosso Brasil, uma ocasião, sugeri como pauta de um programa de TV, colocar num bate papo, somente um mineiro, um gaúcho, um catarinense e um maranhense, para explicar tudo a um paulista.Tenho a certeza que no fim do dia, algum deles puxa uma arma e mata os demais."

Concordo, porque eu que vivo aqui tive entendi tudo, mas passei algum trabalho para traduzir
.

3 comentários:

Lúcia disse...

Delicioso, Clarice. E uma só língua a abarcar estas variantes.
Beijnhos

salvoconduto disse...

Cum raio, quase me parecia mirandês (do nordeste transmontano).
Excelente a história!

Abreijo

neu disse...

Gostei...
Muiiiiito obriiiiiiiigado pela parte a que me tocas.
cheguei atrazado novamente he he he
neu