TRANSLATOR( BLOG OR POST)

27 de jun de 2008

Ztá valando cumigummm? Hic!





Perguntas dos leitores de Zero Hora (edição 23/6/08) sobre a nova Lei de trânsito "ÁLCOOL: TOLERÂNCIA ZERO"



"Caso uma pessoa coma uma sobremesa que contenha vinho, como sagu, ou tenha tomado algum tipo de medicamento com álcool, poderá ser constatada alguma dosagem de álcool nos exames de bafômetro? Se der positivo, essa pessoa poderá ser presa?



Qualquer alimento ou medicamento que contenha álcool poderá ser identificado pelo bafômetro. Por causa disso, a nova legislação determina a necessidade de disciplinar margens de tolerância para esses casos específicos. Isso ainda vai ser feito. Para o período de indefinição, vale um decreto que permite aos motoristas, por enquanto, apresentar até 0,2 g de álcool por litro de sangue. Isso é o equivalente a um cálice de vinho para uma pessoa de 80 quilos.



Posso me recusar a fazer o teste com o bafômetro sob a justificativa de que, pela legislação brasileira, ninguém é obrigado a produzir prova contra si mesmo?



Esse entendimento amparava, até aqui, os motoristas que não queriam fazer o exame com o bafômetro. Mas a nova legislação é explícita quanto às penalidades para quem se negar a isso. O entendimento é que a regra não vale para o trânsito. Dirigir não seria um direito, mas uma permissão do poder público, concedida apenas a quem se habilita e segue determinadas regras.





O teste com o bafômetro é obrigatório?



O motorista pode ser recusar, mas, nesse caso, sofrerá a mesma penalidade destinada à pessoa comprovadamente alcoolizada: infração gravíssima, multa de R$ 955 e suspensão do direito de dirigir por um ano. Essa punição também será aplicada se o condutor se negar a outros exames para atestar a embriaguez. O que acontecerá se eu me recusar a fazer o exame e depois entrar com um recurso, alegando que não estava bêbado? Prevendo que motoristas embriagados possam recorrer a essa artimanha para escapar da punição, a lei prevê que o testemunho do agente de trânsito ou policial rodoviário tenha força de prova diante do juiz.



Como o índice de álcool vai ser verificado?



Fiscais de trânsito e agentes das polícias rodoviárias poderão submeter os motoristas a testes com o bafômetro. A autoridade de trânsito também poderá levar o motorista suspeito para um exame clínico, se não houver um bafômetro.



Se tomar uma ou duas taças de vinho no almoço de domingo, quando poderei dirigir? Quantas horas são necessárias para eliminar por completo o álcool?



O tempo de permanência do álcool no organismo varia de uma pessoa para outra, conforme idade, peso e condições de saúde. O certo é que não basta esperar algum tempo depois da bebida para pegar a estrada. Mesmo que você beba dois copos de chope, o álcool pode ser detectável durante um período que vai de três a seis horas. No caso de uma bebedeira, pode estar sem condições mesmo na manhã seguinte, porque a presença do álcool se mantém por períodos prolongados.



Nunca mais poderei sair com minha esposa para um jantar romântico regado a uma taça de vinho. Por que neste país sempre os bons pagam pelos mal educados?

A alternativa é tomar um táxi ou o transporte coletivo na hora de voltar para casa ou então entregar a direção a quem não bebeu. O entendimento da lei é que, não importa a quantidade de álcool consumida, o motorista vai colocar a si e a outras pessoas em risco caso tome o volante. Mesmo quando são consumidas quantidades pequenas e não há sinais exteriores de embriaguez, as chances de a pessoa se envolver em um acidente aumentam.



Tenho o costume de beber no almoço uma taça de vinho tinto seco. Se logo após necessitar dirigir meu automóvel, for barrado por autoridade de trânsito e ficar comprovado que ingeri essa pequena quantidade de álcool, posso sofrer punição?



Sim. Você vai receber uma multa de R$ 955.00 e perde o direito de dirigir por um ano, porque a lei proíbe dirigir com qualquer quantidade de álcool no organismo. Quando uma pessoa tem álcool no sangue, mesmo que não apresente sinais de embriaguez, ela está mais sujeita a sofrer acidentes. Uma taça de vinho significa de 0,2 a 0,3 grama de álcool por litro de sangue, o que configura infração mesmo com a margem de tolerância que vai valer nos primeiros tempos da lei."



Agora entro eu com meus pensamentos:



Essa lei muito oportuna, mas precisando de reparos e de instrumentalização da polícia(São Paulo, a cidade, tem 6 milhões de veículos e 25 bafômetros!), cria a oportunidade de empregos.



Ora! Vamos ver o lado positivo. Além de tirar os borrachos de plantão das estradas e ruas, você poderá oferecer seus serviços àqueles que não resistiram ao vinho ou a outros vapores etílicos. Transporte de bêbados será a moda nova por aqui. Já vejo até logotipos bem criativos!



Os taxistas agradecem. Poderão até fazer promoção. A cada chamada etílica descontos progressivos.



Tem mais de um borracho querendo achar a porta de casa? Vamos usar a van com logotipo do restaurante(é bom manter o motorista trancado e de mãos atadas, enquanto você janta e/ou bebe).



Em último caso, se você soprar no canudinho por ordem da polícia, poderá depois processá-la por ter sido contaminado com herpes, aids, hepatite...e recuperar seus preciosos R$955,00.



Queria uma desculpa para sair acompanhado/acompanhada? Ora, por segurança. "Ela/ele é apenas meu motorista esta noite!"



E a cara do sorteado para não beber naquela noite, hein?



Farmácias homeopáticas? "Aqui manipulamos medicamentos sem álcool."



Quanto a mim, dirigir da mesa até a rede, até o sofá, até o quarto nunca foi problema.



Tim! Tim!





Placa copiada daqui.




Imagem da adega.


4 comentários:

Helô disse...

Vai ter logo, logo alguém fazendo propaganda de telentrega de bêbados, hehe.

Eu, que nem tu, mas sem a rede!

Clarice disse...

Helô, tô procurando sócios!
Abraços e bons vinhos.

Tiago Medina disse...

Com essa nova lei, não duvido que eu seja preso qualquer hora.
Apesar das novas oportunidades que se abrem com ela, eu não sou empresário, continuo cliente...
Tenho pouco dinheiro. Ou pego táxi ou bebo. Não pegaria táxi pra sair e não beber. Logo, contiunarei bebendo sem pegar táxi.

Daqui a um tempo escreverei minhas memórias do cárcere... hehehe

beijo

Clarice disse...

Tiago, fique sentado bebendo até que alguém apareça e leve você. De preferência para sua casa, hic! hic!
Logo logo vai ter lotação para bebuns, nem se preocupe.
Abraço.