TRANSLATOR( BLOG OR POST)

10 de jun de 2007

Bom dia! Boa Tarde! Boa Noite!

" Olá, como vai? Eu vou indo. E você, tudo bem?..." (Paulinho da Viola)


Quando eu era criança e até quase a adolescência, cada vez que botava a cara fora de casa olhava para todos os lados e não era só por curiosidade, não! Para dar conta de cumprimentar a todos os que via, porque eu achava que se deixasse passar um daqueles tantos colonos que meu pai conhecia, eu receberia uma bela bronca.

Eu via minha mãe, professora primária, fazer um aceno, ou falar um bom dia em voz alta. Nem desconfiava que essa atitude tinha alguma coisa a ver com as crianças de quem ela era ou fora professora. Imagine não cumprimentar a professora de seus filhos!

Naqueles dias e naquele lugar como tantos daquele tamanho, a escala de importância ou de respeito era mais ou menos esta: prefeito, padre, delegado e professora. Mais tarde intrometeu-se o juiz. Hoje em dia melhor nem fazer lista!

Era bom dia e boa tarde que só acabava com o fim da calçada. Sorte minha a cidade ser pequena e que nem sempre eu precisava ir além de umas três ou quatro quadras para o que quer que fosse.

Aos domingos a coisa ficava mais complicada. Dia de ir à missa com a família. Sim, aos domingos era coisa séria! Eu não dava conta de me fazer notar por todos aqueles sisudos de todas as alturas e sotaques, que passavam por meu pai e minha mãe e trocavam algumas palavras ou um “Hop!”, acompanhado de uma mão levantada, o que na língua deles queria dizer “Oi!. Era mais difícil do que parece, porque eles nem sempre ouviam meus sinceros cumprimentos. Mas eu me esforçava. E como! Só faltava contar nos dedos a quantos eu havia conseguido dar bom dia!

Depois de adulta comecei a imaginar o que passava pela cabeça daquelas pessoas que viam a filha do Gaitano* e da professora Wilma saudando todo mundo. Espero que tenha servido de exemplo para algum filho malcriado e turrão, mas cá pra mim, tenho minhas dúvidas. Acho que estive mais próxima de algum comentário do tipo: Tem algum problema aquela guria dos De Marco? Fica baixando a cabeça para todo mundo, dando bom dia pra todos que passam! Poveretta!



* Não adiantou nada meu nono Ricardo batizá-lo como Caetano. Italiano que se preza fala Gaitano.

Aqui você ouve a música (Eu prefiro com Elis ou com o próprio Paulinho, mas esses dois deram conta do recado)

A figura veio deste renascido blog

6 comentários:

cap disse...

Abandonado? O que te levou a pensar que o blog está abandonado?

Clarice disse...

Cap, Saravá!
Update apressado para reparar o erro.
Abraço.

cap disse...

Saravá!
Já lhe respondi no meu e via mail.
Abraço.

Anonymous disse...

Olá recebi seu bjs e tchau de boa noite kkkk

Bjs Ângela

Sêmen de Gargalo disse...

Olá, Clarissa! Obrigada pela visitinha lá no Sêmen de Gargalo. Estou numas férias tão "meio-boca" que nem sei se são férias mesmo.
Andei a tempos com mania de crônicas sobre futebol, já que não é raro o papo entre amigos e familiares se desenrolarem por este tema. Mesmo que a gente não queira, acabamos por nos afeiçoar ao esporte e até a entender alguma coisinha, né? Eu me divirto muito quando junto com a turma pra ver algum jogo mas não psso deixar de jogar sardinha pro nosso lado, ao comprovar que quando a platéia é quase 100% feminina, nos divertimos muito mais. :)
Que venham as mulheres com toda a graça e inteligência, agregar maior beleza ao futebol! Dou todo apoio.

Aloha! Namastê! Sawabona!

Clarice disse...

Pois é, Sêmen, eu que nos meus tempos de "fesssora" até apitei partidas de futebol entre os meninos, dou pitaco mesmo!
Um dia eles vão acreditar que futebol, com aqueles musculosos e fortes moçoilos é coisa para mulher assistir.E que mulher também bate um bolão!
Abraço.