TRANSLATOR( BLOG OR POST)

8 de mai de 2007

Isso que é fé na humanidade!

A Livraria Catarinense, uma das maiores livrarias daqui, começou há algum tempo uma campanha muito interessante, corajosa e ímpar.

Recebo o jornalzinho dela com certa freqüência, embora nem faça compras lá há tempos, porque descobri um sebo fantástico, mas quando li o rodapé com o convite para a campanha fui obrigada a reler, porque fiquei com a impressão de que eu havia trocado letras, palavras e frases(ultimamente isso tem acontecido por aqui). Li com redobrada atenção. Era aquilo mesmo.

A campanha consiste em deixar em lugares públicos algum livro. Qualquer livro já lido ou não. Quem o encontrar lê e (espera-se)devolve ao mesmo lugar. Para engrandecer a campanha, deixa também no mesmo local ou em outro qualquer, outro livro.

Também tem a opção de deixar livros em escolas. Estes não teriam que ser devolvidos.

Se isso não for prova de que alguém ainda acredita nas pessoas então não sei mais o que é confiança.

Quanto a esta alma aprendiz, devo confessar que percebi que não sou o tipo de pessoa assim tão isenta de preconceitos, porque não tive coragem de deixar nenhum livro na rua, ainda. Minha participação continua com doação de livros e revistas para o Lar Recanto do Carinho*. Mas já me senti tentada a deixar algum em local bem visível e ficar espiando só para ver a cara de quem encontrasse. Quem sabe na próxima ida à Felipe Schmidt!

-Tem um livro aí, tia?

* Ali crescem filhos de aidéticos, alguns portadores do vírus, outros não, e que, contrariando todas as expectativas, nasceram condenados a poucos anos de vida e hoje são crianças e adolescentes que precisam de tudo, desde chinelos, casacos, calcinhas, cuecas, leite, biscoitos, arroz, sabonete,...tudo! E aceitam qualquer doação para eles e suas famílias, inclusive restos de construção, objetos usados, objetos novos. O que eles conseguem vender na feirinha vira remédio e comida. E muita coisa vai para a família das crianças.

4 comentários:

Waldemar Henrique disse...

Oi Clarice

Eu já tinha ouvido falar nessa Campanha, que achei sensacional. O problema reside justamente no preconceito a que tú mesmo te referes. Infelizmente ,pelos hábitos e cultura do povo, a gente deixa de confiar nas pessoas. Será que, ao encontrar o livro êles irão mesmo lê-lo ? E será que o devolverão ? É trsite isso, mas é a verdade, não é ?

Abraço

W.|Henrique

CastroBruna disse...

oi, que pena.. você não ter isto o meu post inteiro!!!
mas eu postei denovo!!
se não der me avisa!!
Eu gostei da campanha dos livros... Mas acho q eu não poria algum livro meu.. na rua.. para alguem ler e Talvez devolver!!
hahahahahaha
olha, amanhã te mando um e-mail respondendo aqueles que você me mandaste!!
bj
BUH

Anonymous disse...

Oie desculpa o sumiço, ando sem tempo mesmo, não tenho entrado muito na internet, por incrível que pareça kkkk

Sempre lembro de você e de seus gatinhos.

Bjs bjs Ângela

Clarice disse...

Waldemar, a primeira reação é essa mesmo! Mas a experiência custaria, digamos, R$4,00, se o livro fosse comprado no sebo. Acho que uma recomendação para devolver, escrita no livro faria alguma diferença. Depois te conto!
Bjs

Bruninha, agora já li teu post e gostei!
A gente está tão acostumada a pensar mal dos outros que nem experimenta, né? Mas já pensou na alegria de alguém que nem tem dinheiro para comprar um livro, encontrar um no banco da pracinha? "Talvez" fique motivado a continuar a brincadeira.
Beijão.

Ângela, eu sei como você é ocupada,bela! Contar dinheiro toma um tempo danado. Ufa!
Beijo e bonfindi.