TRANSLATOR( BLOG OR POST)

8 de jan de 2007

Não tenho tempo para isto!



Tédio? Não sei o que é isto, não!

Quando eu canso de ficar lendo na rede vou para a cadeira. Se a cadeira me cansa vou caminhar na praia. Se estiver chovendo, vejo documentário e filme na tv, enquanto ouço os barulhinhos da água. Se tiver sol, cuido de minhas plantas. Se um gato pedir colo eu dou. Se o telefone tocar eu atendo. Se o cara que ficou de terminar o armário não aparecer, eu ligo e dou bronca. Leio mensagens e blogs. Vou até a janela ver se as andorinhas já pousaram na antena do prédio vizinho. Quando o sabiá-da-terra faz seu show no alto do prédio eu paro o que estiver fazendo e fico ouvindo, quase com nó na garganta, extasiada. Cozinho com muito boa vontade. Como sem pressa.Espio as nuvens adivinhando o tempo. Levo o lixo. Sigo o helicóptero de binóculos. Telefono para o filho. Fotografo qualquer coisa. Feira para abastecer a geladeira. Creche de vez em quando. Tem dia para dar trabalho ao cabeleireiro. Dia de massagem para ajeitar a coluna. Olho a paisagem pela janela umas dez vezes por dia. Hora de pegar uma cor e espantar o calor com banhos e banhos. Pago contas. Varro o chão. Volto para o livro, ou para a tv, ou para o computador.

E já é hora de dar comida aos gatos outra vez. Hora de limpar a areia-toalete. Mais uma espiadinha no computador. Pinto uma porta já cansada de esperar pela nova cor. Penso no que escrever. Lavo o carro. De vez em quando uma conversinha, rapidinha, pequenininha, com alguém que passa pela garagem. À noite tem mais livro, revista, filmes, talvez um vinho. A lua está lá no alto para ser olhada, então,vamos olhar!

E quando as luzes apagam, ainda dá tempo de ficar feliz por mais um dia, antes de limpar a lixeira da mente com sonhos, que irão ocupar alguns minutos no dia seguinte em busca de interpretação.

Como sentir tédio?

Tédio é coisa de seres desocupados, pouco criativos, ou de sensores embotados? Talvez existam dias menos emocionantes, outros com dificuldades a serem superadas, calor sufocante, um dodói ocasional, gente chata, trânsito enlouquecedor, vizinhos barulhentos, notícias terríveis, mas tédio? Seria desculpa para sua própria chatice?

Eu nunca entendi e morro de pena de gente que não se suporta sozinha. Que não consegue conviver consigo mesma, que precisa estar cercada de barulho e gente o tempo todo. Que não sabe o que fazer com um dia inteiro a sua disposição.

Tédio? Não sei, não!

Arte: The Persistence of Memory, Dali, 1973

11 comentários:

Susana disse...

Já diz o ditado: "Se precisar de ajuda, peça para alguém bem ocupado". A gente que está acostumada a tripla jornada, realmente não consegue entender ( ou mesmo suportar) a preguiça alheia. Eu digo que nasci com vocação pra polvo, pois costumo fazer várias coisas ao mesmo tempo. Dificilmente sento pra ver algo na tv sem "aproveitar" o tempo pra fazer algo. Ah, obrigada pela dica do faxineiro do computador - varri um bocado de besteiras.
Um abraço.

Clarice disse...

Susana,talvez seja o aprendizado de saber relaxar, de se dar o direito de até nem fazer nada por algumas horas,apenas sentir o momento, a vida, mas conseguir ficar entediada para mim é demais da conta!
Beijo.

Bruna Castro disse...

Eu não gosto de sentir tedio!! Para que se tem todo esse mundo para viver!!!
Bom Clarice foram quatro flores que levei para a praia!!
Bejão
To chegando ai em Sta Catarina dia 22/01
Bruna Castro

Anonymous disse...

Que vida boa em Clarice...hahaha

Vamos trocar? Bjs

Miau Angel

Clarice disse...

Bruninha, disse tudo! Se com tanta vida para viver, uma garota de 11 aninhos sentir tédio, então o mundo estará perdido mesmo!
Já estou aprontando balão e bandeirinha pra receber você! E até já joguei isca para pegar o tal peixe. Vamos ver!
Beijo.

Ângela, cada coisa a seu tempo. Primeiro você trabalha 30 anos, depois continua trabalhando, mas sem mesa cheia de papéis.
Assim que eu conseguir comprar uma cama, convido você para passar dois dias aqui. ;)
Beijo

Bruna Castro disse...

obrigada!
olha vou ver o peixe em??
to chegando em segunda!
gostaria que vc me mandasse um e-mail com: o nome da sua rua, o numero da sua casa!
já te mandei ns e-mails!
bj
tem coisa lá no blog

Waldemar Henrique disse...

Ah.....agora sim, conseguí abrir a dita cuja janelinha pra te dizer aquilo que eu já disse em e-mail: Este teu jeitinho de viver chama-se, no meu entender, "qualidade de vida". Feliz de quem aproveita com tanta sabedoria tudo aquilo que possui e que, muitas vezes, até nem é tanto assim, né ? A Bruninha, ah...a Bruninha. Essa gente pequenina é sábia como ela só. Tenho um exemplo maravilhoso disso na figura do Henriquinho, que tem a mesma idade. Êles são gênios.

Um beijo no teu coração.

W.Henrique

Clarice disse...

Waldemar, como sentir tédio, com pessoinhas como eles e você?
Às vezes as dificuldades(que não foram poucas e você sabe) podem ser encaradas como investimento, mas tem que usar os óculos certos para ver coisas boas em tudo.
Quando a gente deixa, o tempo trabalha a nosso favor.
Beijão

Anonymous disse...

Hahaha dois dias essa foi muito boa!!!

Eu já tenho cama para você ...mas para dois dias (brincadeira a parte, espero conhece-la um dia!!)

Beijão

Clarice disse...

Anônimo(Ângela?): para quem trabalha de segunda a sexta, passar dois dias na praia já é um bom negócio, não é não?
Quando a visita fica mais de dois dias, o dono da casa coloca vassoura virada atrás da porta, sabia?

Maranhão disse...

Tenho um desses na minha sala.

Cópia, claro, mas ainda assim inspirador.

Forte abraço